segunda-feira, julho 04, 2011

medo: eu ainda pego você.



   Ultimamente ando pensando muito. Não que eu não pense muito, mas eu tenho pensado muito em uma coisa específica, entende?  Eu não sei se já disse, mas dificilmente me arrependo do que faço. Não sei. Acho meio desnecessário, sabe? Porque? Bom, porque se eu faço algo é porque tenho vontade, certo? Não sei se pra você, mas pra mim, isso é certíssimo. Eu só faço o que tenho vontade, não sou manipulada por ninguém. Já fui. Mas depois que aprendi a pensar por mim mesma, ninguém mais deu palpite em minha vida. Não quer dizer que não goste de saber o que algumas pessoas selecionadas acham sobre minhas decisões. Às vezes quero sim. Mas não aceito palpites, aquela coisa de "porque você não faz isso, ou aquilo", ou "você não deveria ter feito isso". Esse tipo de coisa eu não aceito. Então como estava dizendo, eu faço o que bem entendo da minha vida. Por isso não me arrependo de nada que fiz ou faço. Não mesmo. Eu tenho vontade vou lá e faço. Não tô nem aí se depois alguém olhar pra mim e falar: "Você fez o que? Tá louca? Mas você se arrependeu né? Sabe que o que fez era errado..." Ah me poupe! Se fiz, fiz porque tava afim. E se é errado ou não, ninguém pode julgar ninguém. Todo mundo erra. Por isso não me julgo, nem me arrependo das coisas que tive ou tenho vontade de fazer. Me culpo às vezes por coisas que eu não faço. E às vezes, essa culpa me corrói tanto o peito. Fico pensando horas, dias, meses, nas coisas que eu não fiz. Por medo, insegurança, sei lá. Porque vontade de fazer eu tinha mas o medo, esse animalzinho que cresce constantemente dentro da gente não deixa a gente ser feliz algumas vezes. E aí quando ele some, porque assim como ele cresce, ele morre, do nada. E quando ele morre a gente fica ali pensando " e se tivesse feito?" " será que..?" Ah, são tantas perguntas sem respostas. Eu prometo a mim mesma todos os dias que vou mandar o medo pra casa do caralho toda vez que ele vinher fazer morada no meu peito. Mas ainda, ainda, não tive forças suficientes para isso. Por isso ainda vivo com algumas culpas e perguntas. Ah, mas quando eu tiver forças, e eu vou   ter. Aiai, coitadinho dele. Eu vou pegá-lo e vou dizer tudo que eu tenho guardado. Ah, medo você me paga por não ter me permitido viver todas essas coisas, nas quais ainda penso. Você vai ver só quando eu pegar você. E nem pense que eu vou me arrepender do que eu vou fazer com você. Medo, medo, toma cuidado comigo... Eu ainda pego você!

1 comentários:

Tais Amaral ზ disse...

oolá :)
tem um selinho pra você lá no meu blog !
http://infinitygirl.blogspot.com ♥

Postar um comentário