sexta-feira, fevereiro 18, 2011

Autossuficiência.



  Ela não sabe mais sofrer. Ela não sabe mais o que pensar e foi exatamente por isso que tomou a decisão de não ter mais que pensar em nada. Ela quer agora todos os prazeres dessa porcaria de vida que foi destinada a ela, mesmo que estes prazeres venham junto com todas as dores. Ela não quer mais se preocupar com as dores que ela já sentiu e sente ainda tantas vezes. Um dia elas passam. Ela não quer mais se preocupar com as feridas do seu coração. Um dias todas essas feridas cicatrizam e saram. E se não sarar, vai parar de doer, e já que não doe, não se sente. E o não sentir, é bom. Menos quando o não sentir, chega ao nada... Ao não sentir absolutamente nada. E hoje ela está assim. Sentindo NADA. E é por isso que ela agora mais do que nunca quer aprender a se amar um pouquinho mais e mandar pra casa do caralho as pessoas todas que não souberam a amar como ela merece. Ou como ela acha que mereceu um dia. Ela só quer se olhar no espelho e não mais se sentir sozinha, ela quer sentir cada vez mais que ela, ela sempre esteve ali, mais do que qualquer pessoa, e que ela pode sim, se amar como ninguém jamais a amou ou pode amar. Ela só quer sentir que encontrou o tal amor que ela vem procurando por aí afora, no lugar onde ela menos imaginava, dentro dela. Cada vez mais vivo. Pedindo para sair e se mostrar. E mostrar aos outros, àqueles que não souberam amá-la, que ela não precisa mais de ninguém, porque agora ela é autossuficiente. É só isso que ela quer. Mais nada.

1 comentários:

Phael Marques disse...

Mandar pra casa do caralho, gostei rsrs!

Postar um comentário