sábado, agosto 17, 2013

Quando Ele me deixou




Quando ele me deixou, eu fiquei algum tempo sentada na poltrona da livraria. Cerca de 1 hora, com o celular nas mãos, com a mensagem que ele havia me enviado aberta, sem acreditar no que eu havia lido (estava lendo). Pelo vidro da loja, via a rua lá fora, e pensava no porque daquilo estar acontecendo mais uma vez. Mas uma vez ele terminava comigo. Fui trazida de volta a realidade pelo som da melodia que sempre tocava quando o shopping abria. Depois abri a loja me coloquei no meu lugar de costume, atrás do balcão do caixa. E fiquei muito tempo parada lá atrás com o celular ainda em mãos, olhando o último sms dele, olhando pelo vidro pessoas passarem e me perguntando o porquê daquilo novamente. Os olhos encharcados de lágrimas que só resolveram derramar quase que no mesmo instante em que minha patroa adentrou na livraria. E lembro que abraçada a ela chorando pensei: agora o telefone vai tocar, mas o telefone não tocou, nem naquele momento, nem em outro qualquer. Percebi ao passar das longas horas daquele dia 10, meu telefone poderia tocar a todo instante, não seria ele. Cheguei a minha casa, e revi várias vezes aquela mensagem, sem fazer absolutamente nada além de respirar e pensar no que (ou se) deveria ter respondido.

Depois daquele dia que ele me deixou - não naquele momento exato, porque no momento exato eu ainda não conseguia assimilar nada, só que ele estava me deixando de um jeito frio e grosso, que nem no meu pior pesadelo eu imaginaria - dei para não pensar em mais nada, só em mostrar pra ele que eu estava bem, como é de praxe.

Todos os quase quinze dias que sucederam ao dia em que ele me deixou, eu só tinha os olhos inchados, a aparência triste e um único gosto - de lágrima. Até que eu resolvi mudar o quadro e aceitar sair com um ex-namorado. Estava cansada das noites em que chegava em casa, depois da faculdade e relia aquela mensagem e sentia ódio de mim, dele, de tudo – e chorava pensando no quanto nós poderíamos ser felizes. Porque no meio dos restos que sobraram de mim, estava alguém que me ligava e queria saber como eu estava, e não era ele.

Eu fui muito feliz com ele, talvez ele nem saiba o quanto. Mas se eu não merecia uma espécie de dúvida, nem ser ouvida, talvez não fosse amor, talvez não fosse pra ser. Então porque eu deveria continuar a sofrer?

5 comentários:

Bruna Braga disse...

Estou passando pelo mesmo problema... Ele acabou de me deixar, e a ficha ainda n caiu, mas um desespero sem fim toma conta do meu ser. Sei q oq tínhamos e ainda temo é real, como nunca foi. A solidão voltará a se tornar a minha melhor amiga, e o medo da infelicidade também. Ja passei por isso antes, e superei. Mas com ele, sei o quão grandioso foi, e que não superarei jamais. Talvez eu até me case e tenha filhos com outro, mas qdo minha filha me perguntar "mãe quem foi o grande amor da sua vida?" Eu n vou poder responder q eh a pessoa no outro cômodo da casa. E só a lembrança dele estará guardada no coração e minha mente

Tâmara Macedo disse...

Belas palavras! Penso do mesmo jeito! Tem gente que marca, essa é a verdade! Força e seja feliz. Afinal, é como dizem: tudo acontece como tem que ser!

Anônimo disse...

Estou passando por isso ele me deixou mas diz ainda gostar de mim ,nao entendo ele gosta de mim ama nal me quer mais ?ele disse que quer ficar solteiro nesse momento estou muito mal nal sei oque fazer me ajudem.

Anônimo disse...

14 anos,noivado,perdas familiares no meio. Planejava uma gravidez,pois já tenho 35 anos.sem dó, nem piedade,saiu de casa com malas e disse q precisava de um tempo. Até hj não voltou. Fiquei com ele algumas vezes,me implorei,me humilhei...mas gírias,descobri q sofremos pq queremos, depois de tta dor. A cada dia sigo em frente,como os drogados em recuperação: um dia de cada vez. O q passou não volta mais,e viver do passado não tem como. Foi uma escolha dele,o futuro se encarregará de dar o q ele merece. Eu vou é continuar minha trajetória, não sabemos ato de cida temos,e cada dia sofrendo por ele é um cabelo branco novo e dia q não volta mais... Para frente q se anda!

Anônimo disse...

Ontem completou dois meses que ele se foi e me deixou aqui. Pensava eu em todos os motivos para tal atitude... Menos os que deveriam ser, ou pelo menos os que com esse tempo ele me mostrou serem... Tristeza, dor, sofrimento, abandono... Sensação de solidão. Horrível o desprezo... pagamento recebido de tanto amor e companheirismo. 4 anos... Não foram 4 meses... 4 dias... 4 horas... Pensei que fôssemos além de homem e mulher. Pensei que fôssemos amigos... Aqueles de ouro... Mas não, não eramos... Pelo menos não pra ele... Que pena que acabou... Mas a volta por cima vem aos que querem... Aos que buscam... E eu estou buscando... e alcançarei se Deus quiser. O viram a caminhar na rua... Em dia de feriado... Meio tarde pra quem está realmente feliz... Pensando... abatido... Olhando para os pés... E não, não sorria como eu pensara que estivesse fazendo. O que fazes com sua LIBERDADE agora rapaz?!... Não eras o que querias?!... Se esquecestes... Que livres somos em nossa felicidade, e não em nosso status de relacionamento. Pena foi pra mim... Mas pena é pra você. Pois se destes conta do erro... Mas não... Eu não voltarei mais... Ainda que me busques novamente. Perdestes uma mulher, uma amiga... Uma companheira para a vida toda. Peço a Deus que te abençoe... E abençoe a mim. E calma... com o tempo tudo passa. Afinal... Até você passou por mim... por nós. Esse é o meu Adeus... a quem tanto amei... Confesso, amo. Mas já está me deixando este sentimento junto com ele/você que se foi... por querer... Por não temer o que poderia perder...

Postar um comentário