sábado, abril 23, 2011

é o medo da solidão?





   O problema é que ela sempre sabe quando um relacionamento não vai dar certo antes mesmo de começar, mas saber disso não muda nada. Todos os sinais ficam ali na frente dela, mostrando que o caminho a seguir não é aquele, e não adianta procurar atalhos, se não é aquele, não é e pronto. Mas é que ela é teimosa e talvez um pouquinho masoquista. Se não for masoquismo eu não sei o que é, porque me parece que ela gosta de sentir a dor que acompanha esses seus relacionamentos vazios. Ela fica ali se humilhando por um pouco de atenção, um pouco de carinho, um colo, um cafuné. Ela fica ali pedindo desculpas por tudo, mesmo quando ela não está errada, só pra ter alguém do seu lado. Medo da solidão? Não sei, porque eu acredito que é mais só aquele que está acompanhado e ainda sente um certo vazio. Mas ela, ela não se importa com um aperto no peito,  um nó na garganta, uma certa dorzinha de vez em quando. Ela só não quer ficar sozinha e sentir isso sempre. Mesmo que estando junto esse vazio a acompanhe constantemente, como se esperasse uma pequena oportunidade para se alojar no seu peito para sempre. Ela pensa que isso não vai acontecer. Mas eu sei que vai. Esse vazio vai corroê-la aos poucos, vai passar por cada pedacinho do seu corpo e matá-la lentamente. Mas ela, ela não acredita nisso não, isso é bobagem, melhor esperar isso acontecer (ela acredita que não vai acontecer) do que sentir esse vazio todos os dias, sem ter alguém pra compartilhar e tapar um buraquinho no peito aqui e outro ali. Ela só quer ter alguém, mesmo que isso a faça se sentir vazia e completa ao mesmo tempo. Ela só quer parar de ter que escrever porque não tem com quem compartilhar seus pensamentos, mesmo que esse alguém nem respeite suas opiniões. Ela só quer ter pra quem ligar nos seus minutinhos de depressão, mesmo que do outro lado da linha ela só escute uma respiração cansada e algumas palavras nada gentis, como um "para de bobagem e cresce, que depressão é coisa de gente que não te o que fazer". Ela só quer sentir pulsar o seu coração nas raras vezes que ele aparecer e a tratar com um pouco de carinho. Ela destesta estar sozinha. Ela não gosta de ouvir dizerem quando ela passa um tempo sem ninguém, que ela é uma solitária. Por isso ela sempre está rodeada de pessoas. Ela prefere a solidão acompanhada daqueles que vivem em rodinhas cheias, mas que não podem chamar ninguém de amigo, a estar sozinha. Porque ela não é um solitária. E nunca será, até porque uma das definições para solitário é: ;  aquele que gosta de viver sozinho. E uma coisa que ela abomina é viver sozinha, com ela mesma. Ela detesta a sua companhia. Pessoa chata, sem alegria, sem brilho algum.. Ela tem baixa auto-estima, ela se sente metade sem alguém. Ela sente como se fosse pender para um lado só e cair. Ela precisa de muletas. Por isso ela sempre quer estar acompanhada, mesmo que essa companhia, vá no decorrer do tempo te deixando se sentir cada vez menos gente. Até que um dia ela vai se olhar no espelho e ver que ela só é a metade da metade que já foi um dia, porque perdeu cada pedacinho que falta nos caminhos errados por aí afora.

1 comentários:

Evanilma disse...

Eu sinceramente, adorei esse. Um texto perfeito. Parabéns!

Postar um comentário