sábado, abril 23, 2011

A história de Dorinha

   

   Tudo começou quando ela ainda namorava, seu namorado um rapaz ciumento começou a controlar suas roupas,  afastá-la das amigas, e ela como era apaixonada por ele, decidiu fazer todos os seus gostos. E assim foi vivendo pra ele. Ele que não só tinha ela de namorada, tinha mais três, uma em cada bairro, mas isso é só um detalhe, pois ela sabia que um dia ele seria só dela, e continuou sendo uma das muitas namoradas dele. Até que foram morar juntos, e ela em sua esperança mais bonita acreditou que dali pra frente ele seria apenas dela. E foi assim durante um tempo. Ela engravidou. Teve dois bebês lindos. Ele se mostrava um bom pai. Trabalhava, não deixava faltar nada em casa. Enfim, eles eram felizes. Os bebês foram crescendo, e ela cada vez mais sentia ele distante. E ele estava. Ele não olhava mais pra ela. Ela sempre pedia para que saissem com os filhos, sozinhos, mas ele não ia, dava dinheiro a ela, e ela ia sozinha. Passava o dia todo fora de casa, e ele nem aí. Até que um dia ela saiu de casa toda arrumada, e ele perguntou onde ela ia, ela disse que iria para casa de sua mãe, não demorou nada ele apareceu lá chamando-a para sair. Ele havia reparado nela novamente. Ela pensou que depois daquele dia que eles sairam e se divertiram tudo ia mudar. Enganou-se. Nada mudou, ele continuava distante. Ela até já conhecia as mulheres que saiam com ele. Uma delas até fazia pirraça a ela na frente dele. E ele não fazia nada. Apenas sorria. E ela se enfiava no seu quarto e chorava baixinho, para evitar que seus filhos escutassem. Ela forçava um sorriso todos os dias e fingia que era feliz. Mas ela não era, e não fazia nada para mudar isso, quer dizer, arrumou as malas e saiu de casa umas três vezes, mas sempre voltava, primeiro porque ele ia buscá-la dizendo que tudo ia mudar, e segundo porque sua mãe dizia que era para ela esperar seus filhos crescerem, se formarem, arrumarem um emprego, saírem de casa, enfim até que os filhos fossem ter a vida que ela não teve. Por isso ela sempre voltava, falta de apoio e esperança de mudança. Mas nada mudava. E os filhos cresceram, se formaram, arranjaram um emprego, um deles foi ter seu próprio filho e ela finalmente saiu de casa, com a certeza de que perdeu os melhores anos de sua vida, lutando por algo que não valia à pena. Hoje eles convivem bem, cada um em sua casa. Algumas pessoas próximas ainda acham que há um certo sentimento entre eles. Talvez haja. Mas ela sabe que mesmo que houvesse, ela não iria mais perder seu tempo com ele. Ela agora tem mais tempo para amar a si mesma, e ter plena consciência de que se ela perdeu tanto tempo de sua vida com aquele cara, ele não merece nem mais um minuto de sua atenção.

2 comentários:

PHAEL MARQUES disse...

Existem muitas Dorinhas por aí, e essas precisam descobrir que a condição de ser feliz ou não só depende de si, quando se ama entregar a felicidade ao outro é quase uma tendência, mas nem sempre o outro lado da relação está disposto a fazer o seu par feliz e aí que é preciso resgatar o amor próprio. Ótimo texto... lição de vida!

tamii macedo disse...

é verdade Rapha, tem muitas Dorinhas por aí mesmo, infelizmente :S

Postar um comentário