sábado, dezembro 11, 2010

Toda vez que eu sofro, chove.





Tá caindo um pé d'água lá fora, e dentro de mim. Eu queria saber, se você chora comigo lá de cima, Deus. Ou se sou eu que choro com você? Não sei porque minha alma chora, toda vez que chove assim. Nunca poderei dizer porque. Não sei porque chove, só sei qual o motivo da chuva que está dentro de mim, e que por meu olho vai descendo. Essa chuva, eu sei, é por falta de você. E a chuva continua caindo, e me dá uma vontade de ter você aqui juntinho.
Ontem eu chorei, até o dia de hoje clarear. Hoje, talvez chova, até o dia acabar. Ou até, quem sabe, minha dor passar. 
Agora só chuvisca. Tá uma chuva tão fraca. Fraca como eu. E cada vez mais fraca. Como as lágrimas que escorrem pelo meu rosto. São fracas e não conseguem levar a tristeza que está aqui dentro de mim. É, acho que vai parar de chover. Só não para essa dor que eu sinto por ter perdido você. 
Algumas pessoas são como a chuva, chegam devagarzinho em nossas vidas, como um chuvisco, vão ficando mais fortes em nossas vidas, como uma tempestade, e quando vão embora, na maioria das vezes vão acabando com a gente, como uma torrente bem forte, que sai levando tudo que vê pela frente. Ah, essas pessoas chuva, quando vão embora, deixam um vazio tão grande..
É, parou de chover. Mas minha dor ainda se encontra aqui, no mesmo lugar.  Tudo agora parece perfeito, menos meu coração que de tristeza chora. Estou enfrentando dias de chuva, mesmo que a chuva tenha parado lá fora. Tudo dentro de mim, está nublado e parece que o sol não vai aparecer, mesmo que eu esteja vendo ele brilhando lá fora. 
Eu espero que pare de chover dentro de mim. Essa chuva que tenta lavar a minha alma, transbordando através das lágrimas. Nesses dias de chuva, minha alma chora. Porque me faz lembrar, que eu não posso mais te ter. 
Preciso te esquecer. Preciso que pare de chover.. Aqui, dentro de mim.



0 comentários:

Postar um comentário