sexta-feira, outubro 01, 2010

ele.




Eu que mesmo sem querer sempre fui tão fria e realista. A necessidade e os tombos levados na ainda curta estrada da minha vida me obrigaram a ser o que eu realmente devia ser, e não o que eu queria que eu fosse.
Eu só pedia a Deus alguém que pudesse ser honesto comigo, alguém que não precisasse de jogos e de verdades inventadas para me fazer sentir o que eu nunca serei. Eu só pedia alguém que estivesse do meu lado, alguém que eu pudesse ser sensível sem parecer ridícula para mim mesma. Então derrepente aparece no momento menos esperado por mim, e isso não quer dizer que tenha sido no tempo errado, foi exatamente no tempo que deveria ser. Alguém que foi capaz de me transformar em um espelho de uma coisa linda que eu nunca pude ver antes.
Um reflexo, eu conseguia me ver nele, minhas qualidades pareciam mais destacadas. Ele me fez gostar de mim mais do que ja pude supor algum dia.
Muitos não tem noção do que é encontrar alguém que te faz bem, e mesmo com tantos anos de azar, eu me sinto a garota mais sortuda do mundo.
Meu medo é que algum dia a gente cruze na rua, e ele nada mais seja do que lembranças de algo que não pôde ser, então meu maior desejo vai ser que alguém cuide dele do jeito que eu gostaria de cuidar, com o cuidado de quem guarda uma pedra preciosa.
Minha maior lembrança e minha maior falta vai ser dos dias em que encostei minha cabeça no peito dele, e a segurança que aquela batida forte me proporcionava.
Eu queria poder dizer que ele é tudo na vida de alguém e nem sequer sabe disso.

1 comentários:

naii ferreira disse...

As vezes precisamos perder algo para darmos o valor merecido (isso não está restrito apenas ao 'jogo do amor', as decisões que tomamos no percurso da nossa vida nos leva à caminhos as vezes nunca esperados). E que novas histórias 'maiores e melhores' tornem-se o porto seguro tão desejado.

Postar um comentário